O que é, como funciona e quais os benefícios do EDI na indústria automotiva

EDI

Automatização e agilidade nos processos está entre os principais desejos de um gestor.

Não importa se a empresa é pequena ou grande, se utilizam muitas ou poucas ferramentas, o uso de sistemas automatizados é uma realidade na rotina industrial.

Para uma empresa se manter no mercado hoje, é importante que o olhar tecnológico esteja atento para as constantes mudanças que possibilitam substituição de processos manuais, redução de custos e principalmente, a melhora no atendimento ao cliente.

Contudo, mais que utilizar ferramentas, é importante utilizar as ferramentas CERTAS que vão proporcionar a otimização da rotina, tal como o EDI, um dos requisitos básicos das montadoras.

Continue lendo e saiba mais sobre como funciona a ferramenta e veja exemplos deste requisito automotivo.

O que é EDI?

EDI é a sigla para Electronic Data Interchange ou Intercâmbio Eletrônico de Dados, isto é, troca de dados por meio de arquivos que seguem uma estrutura pré-definida.

Essa é uma tecnologia importante para facilitar e agilizar a comunicação entre empresas, seja para venda ou compra de insumos. Tornando o processo que antes era lento e complexo, mais simples.

Botão para baixar o eBook "O guia definitivo do EDI da programação de entrega"

E como usar na minha indústria?

É comum haver dúvidas sobre como aplicar o uso desta ferramenta na indústria, independente do segmento. Por isso, para te ajudar a visualizar melhor, vejamos um exemplo das montadoras de veículos.

Exemplo prático de uso

Para tornar-se um fornecedor do segmento automotivo, além de outros requisitos que falamos em outro momento (clique aqui para conhecer), é necessário garantir a comunicação via EDI. Um fornecedor de montadora depende de uma troca extremamente rápida e confiável dos dados para garantir o bom funcionamento das linhas de produção, seguindo as melhores práticas do mercado que o “Sistema Toyota de Produção” sugere, por exemplo o Just in Time.

Como sabemos, o processo de montagem de um carro depende de centenas de peças que vêm de inúmeros fornecedores. Por isso, com o planejamento de produção pronto, são enviados aos fornecedores um arquivo de texto com todas as informações sobre um pedido.

Além das informações básicas de um pedido tais como quantidade de peças e data de entrega, os arquivos também contém informações específicas como local ou doca que a carga será descarregada e a última nota fiscal recebida do fornecedor para controle de saldo de entrega.

Imagina se todos os pedidos fossem digitados manualmente?

Como eu recebo a programação via EDI?

A prática mais comum (e eficiente) é contar com o auxílio de um sistema de gestão que realize a importação automática do arquivo recebido. Assim, todas as informações referente à programação de entrega estarão disponíveis para planejar a produção e se necessário, gerar as informações exigidas pelo cliente, que no caso das montadoras é o Complemento XML e Etiquetas de Identificação.

Para as empresas que não possuem um sistema de gestão, também pode ser disponibilizado o arquivo TXT em formatos PDF e Excel. Neste caso, sua empresa não está utilizando a tecnologia EDI por completo já que a digitação manual ainda será necessária.

Como é um arquivo EDI?

É um arquivo em formato de texto (TXT) que possui todos os dados da programação do cliente estruturados de acordo com um formato padrão estabelecido pelo cliente. Veja abaixo.

Arquivo de texto utilizado para importação do EDI

Não entendeu nada, né?

Não tem problema, apenas o programador do seu sistema que precisa saber o que cada um desses caracteres significa. A única coisa que você precisa saber é que esse arquivo pode contar as seguintes informações:

  • Número do pedido;
  • Código do produto;
  • Quantidade;
  • Data de entrega;
  • Local de desembarque.

*Também são inclusas outras informações variáveis de empresa para empresa.

Todos esses dados dentro de um arquivo em formato de texto sendo enviado eletronicamente de um sistema para outro é o EDI.

Quais os benefícios de usar EDI?

O EDI substitui a troca comum de informações em papel pela informação padronizada, eletrônica e segura. Essa integração entre fornecedores e parceiros de negócio cria vantagens como:

  • Recebimento de pedidos de vendas (programação de entrega) de forma automática e sem intervenção manual;
  • Tempo de processamento dos pedidos reduzidos uma vez que não há necessidade de digitação da programação de entrega item a item;
  • Aumento na acuracidade dos pedidos, evitando erros na programação e na entrega final;
  • Otimiza o recebimento e a expedição de materiais;
  • Mais confiabilidade nas informações e reduz os riscos de não conformidade ou deméritos;
  • Libera mão de obra para atuar em outras funções de maior valor agregado para o negócio;
  • Gera informações em tempo real de vendas para um melhor planejamento da produção.

Mas é só para uma empresa grande?

Definitivamente não!

Mesmo as indústrias pequenas podem fazer o uso desse tipo de tecnologia a um custo acessível.

Inclusive algumas montadoras não fecham contrato com fornecedores que não possuem o EDI já que o mesmo não poderá receber a importação de entrega.

Quer saber como fazer essa importação em um sistema de gestão? Confira o vídeo abaixo:

Veja aqui como é simples fazer o recebimento de uma programação de entrega do cliente via EDI no Q4-ERP

About The Author

Nossos conteúdos são produzidos por especialistas nas diversas áreas da Indústria. A QS está em constante busca por informações e atualizações sobre tecnologia e Gestão Industrial, com o objetivo de trazer a melhor informação para os clientes.

Add a comment

*Please complete all fields correctly

*

code

Veja também outros artigos recentes

investimento em tecnologia na indústria
erros da transformação digital
melhoria na gestão das empresas